Início » Religião

Mãe Beata grava documentário biográfico em Cachoeira

Mãe Beata de Yemanjá, por Francisco Moreira da Costa, fotógrafo do Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular

A ialorixá Mãe Beata de Iemanjá volta a Cachoeira para protagonizar documentário sobre sua vida. Produzido pelo seu filho caçula Aderbal Ashojun, que já trabalha na área de audiovisual, o documentário procura reviver alguns caminhos percorridos por sua mãe durante seus 79 anos de vida.

Aderbal justifica a idéia da produção pela necessidade de exaltar uma faceta de sua mãe que foi de certa forma esquecida por outros trabalhos feitos a respeito de sua vida. “Minha motivação foi a partir da necessidade de mostrar o outro lado de minha mãe, aquela que é sofrida, batalhadora e que não é só a representante do Candomblé”, alega. Para ele, falta esse outro olhar sobre a história de sua mãe “porque politicamente não interessava exaltar uma mulher negra, pobre e vinda da Bahia que venceu na vida e cultua a religião do Candomblé”.

Ele relata que seu contato com esta religião de matriz africana é “anterior” ao seu nascimento que ocorreu dentro do terreiro “debaixo do pé de Iroco”. “Dentro do terreiro de Candomblé, já havia um médico de pré-aviso sobre meu nascimento para auxiliar minha mãe na hora de meu parto, que foi cesariana porque ela não tinha passagem suficiente”, conta.

Sobre sua infância dentro de uma família ligada às tradições africanas, Aderbal ressalta a “particularidade” de ser criado sob os preceitos do Candomblé. “A maior obra realizada por minha mãe foi criar meus irmãos e a mim sob os princípios da verdade, do respeito ao próximo e à natureza”, destaca.

Hoje, ele dirige uma ONG vinculada à preservação da natureza e educação ambiental dentro dos terreiros de Candomblé, com a parceria do INGÁ – Instituto de Gestão das Águas e Clima, do Governo da Bahia, da Secretaria da Cultura, do Omo Aro Cultural e do INTECAB – Instituto Nacional da Cultura Afro-Brasileira. O projeto Oku Abo procura garantir que as comunidades de terreiro tenham acesso às lagoas e cachoeiras, além da livre expressão de sua religiosidade e conservação de seus bens naturais.

De Cachoeira para o mundo

Mãe Beata de Iemanjá foi iniciada no Candomblé por Mãe Olga do Alaketu, no terreiro de Ilê Maria Laji, em Salvador. Participou de inúmeros eventos, muitos deles internacionais divulgando a importância da religião de matriz africana pelo mundo, em países como Holanda, Alemanha e Estados Unidos. Ela possui inúmeros projetos sociais ligados ao seu terreiro de Candomblé, localizado no Rio de Janeiro, cidade que adotou para viver. Para ela, sua missão na terra é dar voz aos mais fracos e desvalidos. Mãe Beata mantêm ainda um site de sua ONG Criola, voltada para o trabalho com mulheres, adolescentes e meninas negras no Rio de Janeiro.

Ela ficará na cidade até a próxima semana, onde irá fazer as gravações de algumas tomadas de seu documentário na sua cidade natal, Cachoeira, em seguida retornará para o Rio de Janeiro.

Por em 17 janeiro 2010 , , , | 1.811 acessos | 6 Comentários
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (7 votos, pontuação média: 3,86)
Loading ... Loading ...

6 comentários »

  1. Muito bom, gostei ! Minha tia avó ..

  2. Écom muito gosto que li a absorvi o texto,tive a honra de conhecer Mãe Beata no lançamento da campanha Quem é de axé diz que é no Glauciu Gil em Copacabana,na ocasião aida timido solicitei que a majestade em vida presente Grande mãe beatriz Mãe beata de Yemanja me abençoace e conquistado o feito ainda cabisbaixo solicitei as bençãos para um exemplar da bandeira de minha cidade Maricá RJ o que de pronto fui atendido,e ai descobri que ninguem presisa ter reseio de se chegar a uma pessoa tão bela como agora minha avó ,pois por incrivel que poderia ser no ultimo dia 03/07/10 a casa de meu zelador Aguiar esteve em festa com a entrada dele para as águas do Ile Omi Oju Aro concequentemente todos do Ile Axé Omo kare devemos obediencia e respeito a mutuo a a todos do Omi Oju Aro ,aproveito par deixar registrado meus respeitos a todos que estiverão debruçado para o mgrande feito pois quem é de axé disz que é Vida longa a Mãe Beata,Jonas yao de Jagun liminha de Maricá Awre!

  3. alguem pode me fornecer o endereço da roça de ma~e beata, por favor
    Irani

  4. mãe beata é uma mulher guerreira pessoa rara que luta pelas pessoas sem voz de um coração que abe o mundo capaz de da tudo que possui para ajudar ao proximo é impossivel conhece-la e não se apaixonar por ela

  5. Grande ser humana , historia maravilhosa.

  6. Gostaria do endereço e telefone da yá mãe beata, alguém pode me ajudar?
    Ficarei no aguardo. Mutumbá!!!

Dê sua opinião!

Insira seu comentário abaixo, ou o link de retorno de seu site. Siga este comentário via RSS.

Os comentários serão mediados. Textos considerados ofensivos ou não apropriados poderão ser cortados parcial ou completamente. Se preferir, use o formulário de contato para enviar email.