Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página
Evento

Curso de Extensão Educação Escolar Quilombola

07/03 a 18/04

Turma 1 CETEP – Vale do Jiquiriçá//Turma 2 - Espaço do Tecelendo - Amargosa

tiago.rodrigues@ufrb.edu.br

O curso de extensão “Educação Escolas Quilombola: fundamentos, diretrizes e experiências” encontra-se com as inscrições abertas, exclusivamente, neste link, no período de 1º a 7 de março próximo. Serão oferecidas 40 vagas distribuídas em dois locais de aula: CETEP e Espaço Tecelando. 

O curso de extensão, de 20 horas, é destinado a professores da educação básica, estudantes e interessados e abordará o processo de construção, consolidação e perspectiva da Educação Quilombola e da Educação Escolar Quilombola no Brasil.

Serão formadas duas turmas, para o mesmo período letivo, correspondente a 07 de março até 18 de abril. Os horários das turmas mudam. A primeira turma será no CETEP – Vale do Jiquiriçá, no horário das 14h às 17h:30min; e a segunda turma no Espaço do Tecelendo, no horário das 19h às 22h. 

O curso de extensão é uma atividade do Grupo de Pesquisa Etnografias da Educação, do Trabalho e da Geografia dos Povos do Campo, da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, Campus Amargosa.

O curso de extensão se inicia no próximo dia 07 de março com a disciplina “História das Lutas Quilombolas no Brasil e na Bahia”.

O objetivo do curso é compreender a História dos quilombos no Brasil; compreender a luta quilombola como geradora de pedagogias da resistência negra no Brasil; analisar a atuação do Estado brasileiro frente a questão quilombola;  explicitar a questão racial no Brasil;  compreender a questão quilombola na Constituição de 1988; analisar o Decreto 4887/2003; analisar a Diretrizes Nacionais para Educação Escolar Quilombola; e evidenciar a questão escolar quilombola a partir dos Parâmetros Curriculares Nacionais.

Contextualização

A luta da população quilombola constitui um marco importante na conflituosa história brasileira. Desde o período colonial, as populações negras rurais empreenderam lutas emancipatórias importantes na resistência a escravidão. Os quilombos se constituíram como a mais expressiva manifestação de luta, resistência e ensinamento da ancestralidade. Não por acaso, segundo dados da Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Quilombolas, há no Brasil mais de cinco mil comunidades quilombolas, sendo que mais de três mil já fora reconhecida pela Fundação Cultural Palmares (FCP). A resistência das comunidades demanda a regularização dos seus territórios, a valorização da sua história, assim como uma educação escolar contextualizada.

Neste sentido, em 2012, institui-se a Resolução n.º8, de 20 de novembro de 2012. Resolução CNE/CEB 8/2012, que Define Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Escolar Quilombola, garantindo a luta por uma educação escolar e que esta dialogue com as demandas da população negra.

Confira o cronograma do minicurso 

Powered by ChronoForms - ChronoEngine.com

Fim do conteúdo da página