Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Alunos do Curso de Engenharia de Pesca do CCAAB/UFRB em parceria com o ICMBio fazem monitoramento das manchas de petróleo

O Centro de Ciências Agrárias, Ambientais e Biológicas da UFRB divulga que durante os meses de novembro a janeiro de 2019 aconteceu uma parceria realizada entre Diretório acadêmico do curso Eng. de Pesca do CCAAB/UFRB Gestão 2019/2020 Inova Pesca, Coordenação do curso Eng. de Pesca da UFRB e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) Reserva Extrativista Marinha Baia do Iguape, que gerou um monitoramento em toda extensão da área de 10.082,45 hectares correspondente a reserva extrativista Baia do Iguape composta por comunidades pertencentes aos municípios de Cachoeira, Maragogipe entre outros.

Esse monitoramento foi inicialmente de forma estratégica planejado pelo ICMBio responsável pela resex que tem como diretor o senhor Sergio Fernandes Freitas. Os alunos receberam treinamento de capacitação no órgão federal, e após estarem aptos embarcaram pelo rio Paraguaçu ao encontro das comunidades ribeirinhas e quilombolas que vivem na resex para monitorar toda área de modo observacional com equipamentos apropriados para esse tipo de monitoramento, também foram ao encontro dos moradores, pescadores e banhistas para conversar e orienta-los de como proceder caso se deparem com esse material contaminante que é de extremo perigo para todo bioma e saúde humana.


De início foi constatado que apesar de se encontrar em outras regiões da Bahia, as manchas de Petróleo não chegaram na região da resex, porém devido à falta de informações corretas e o medo da população acabaram afetando a venda de pescados e mariscos na região. Deixando pescadores e marisqueiras da região da resex preocupados pois muito só tem como fonte de renda essa ocupação. Daí a importância desse trabalho de monitoramento para que sejam divulgadas informações corretas a população, e os órgãos competentes possam planejar formas de proteção para toda área da Reserva Extrativista Marinha Baia do Iguape.


O presidente do Diretório acadêmico do curso da Eng. De Pesca da UFRB Marcos Silva ressalta a importância dessa parceria pois além de ser algo que vai ajudar toda população e o meio ambiente, também é de extrema importância na formação do estudante pois aprendemos de forma pratica gestão ambiental e gestão da pesca artesanal que são áreas de estudos que vem sendo cada vez mais importantes na vida do engenheiro de pesca. O estudante ainda informa que acontecerá uma nova etapa desse monitoramento onde será feita coleta e análise de água e animais, afim de verificar se existe ou não algum contaminante derivado dessas manchas de petróleo.

 

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página