Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Notícias > Professores da UFRB participam de documentário sobre sítios arqueológicos do Oeste baiano
Início do conteúdo da página
Pesquisa

Professores da UFRB participam de documentário sobre sítios arqueológicos do Oeste baiano

Publicado: 15/05/18 16:43 | Última atualização: 15/05/18 17:23 | Acessos: 421 | Postado por Renato Luz

Produto de uma série de pesquisas arqueológicas, o documentário “O lugar antes de mim”, de direção de Karla Nascimento, está sendo lançado no oeste da Bahia. A primeira sessão acontece nesta quarta-feira, 15, em Barreiras, na Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB); e no dia 17, o média-metragem será exibido na praça central de São Desidério.

O Sítio Arqueológico Gruta das Pedras Brilhantes, em São Desidério, é o tema do primeiro episódio da série televisiva documental que fomenta a valorização do patrimônio material brasileiro por meio da linguagem audiovisual.

O episódio Gruta das Pedras Brilhantes apresenta depoimentos de pesquisadores que partem do papel da arqueologia na compreensão da sociedade, avançam pelos tipos de sítios comuns no Oeste baiano e chegam à caracterização do sítio em foco no documentário.

Os professores da UFRB Luydy Fernandes e Carlos Costa participam do primeiro episódio da série e comentaram a presença de pedras brilhantes na Gruta. “O brilho tem três origens possíveis: uma reação química natural, ação humana ou uma combinação dos dois elementos”, disse Fernandes. Ainda segundo ele, quando alguma intervenção humana remove o brilho, ele volta a surgir, o que reforça a ideia da origem natural.

Além das pedras que brilham, o documentário mostra estalactites, estalagmites e coraloides, sempre explicando seus processos de formação. Com uso de uma tecnologia especial, a produção revela cores intensas nas pinturas rupestres encontradas no Sítio Arqueológico Seu Camé. “O olho humano é extremamente limitado para a percepção das representações rupestres”, explica o doutor em arqueologia Carlos Costa, professor da UFRB. Em tons de amarelo e vermelho, além de preto, os pigmentos identificados são de óxido de ferro, óxido de manganês, caulinitas e carvão.

O documentário tem o apoio do Governo do Estado da Bahia, através da Secretaria​ ​de​ ​Cultura​ ​do​ ​Estado e do Fundo de Cultura da Bahia; e do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (IPAC).

registrado em:
Fim do conteúdo da página