Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Professor do CETEC/UFRB é aprovado em edital do Instituto Serrapilheira

Publicado: Segunda, 15 Junho 2020 10:02 | Última Atualização: Segunda, 15 Junho 2020 10:03 | Acessos: 44

O Instituto Serrapilheira anunciou os 23 jovens pesquisadores selecionados pela 3ª chamada pública de apoio à ciência. Igor Miranda, docente do Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas (CETEC) da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), foi um dos contemplados com o projeto “Supersensores minimalistas: algoritmos e arquiteturas de hardware para arranjos de sensores de 1 bit”.

Os contemplados receberão até R$ 100 mil, cada, para investir em seus projetos nas áreas de ciências naturais, ciência da computação e matemática. Como parte da rede do instituto, eles também terão acesso a treinamentos, eventos de integração e iniciativas de colaboração, pautados pelos valores da ciência aberta e diversidade na ciência.

"Vejo uma grande importância nesse resultado por conta do compromisso do Serrapilheira em elevar a produção científica brasileira para um patamar de excelência. Nesse momento da história que a ciência e as universidades estão sofrendo uma injusta desvalorização, isso indica a seriedade e a qualidade do trabalho desenvolvido na UFRB", avalia o professor Igor Miranda.

Professor Igor Miranda na International Engineering in Medicine & Biology Conference 2019, na Alemanha.

Professor Igor Miranda na International Engineering in Medicine & Biology Conference 2019, na Alemanha.

Os cientistas serão reavaliados após um ano. A partir daí, até três terão o apoio renovado e receberão até R$ 700 mil – com bônus de R$ 300 mil destinados à integração e formação de pessoas de grupos sub-representados na ciência – para investir em suas pesquisas por três anos.

“O processo seletivo foi especialmente desafiador diante da pandemia de Covid-19”, afirma a diretora de Ciência do Serrapilheira, Cristina Caldas. “Poder apoiar jovens cientistas em um momento especialmente difícil como esse nos traz um novo ânimo”, completa Caldas. “Como a ciência ganhou mais atenção na pandemia, torcemos para que esse investimento na pesquisa brasileira possa representar uma certa esperança para as pessoas.”

Saiba mais na página do Serrapilheira.

Fonte: ASCOM/UFRB

registrado em:
Fim do conteúdo da página