Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Projetos de Pesquisa

Os docentes do Bacharelado em Engenharia de Tecnologia Assistiva e Acessibilidade (BETAA) têm desenvolvido uma série de projetos de pesquisa e inovação. Esses projetos são vinculados à Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação, Criação e Inovação (PPGCI). Uma lista completa das atividades de pesquisa realizadas no Centro de Ciência e Tecnologia em Energia e Sustentabilidade (CETENS)  pode ser encontrada no link: https://www.ufrb.edu.br/cetens/projetos-pesquisa.

A seguir listamos os projetos de pesquisa desenvolvidos por docentes do BETAA. 

Título: EMPREGO APOIADO: MAPEAMENTO DE ATORES SOCIAIS E DE PRODUTOS DE TECNOLOGIA ASSISTIVA NO ÂMBITO DO TRABALHO

Coordenação: Jesus Carlos Delgado Garcia

Resumo: Esta proposta de pesquisa se debruça sobre o tema do mapeamento de atores sociais com potencialidade para prestarem serviços de Emprego Apoiado, articulados com as políticas públicas, e, também, sobre os produtos de tecnologia assistiva destinados a serem utilizados no posto de trabalho, cuja identificação, recomendação e avaliação são atividades que estão compreendidas dentro da metodologia do Emprego Apoiado.

 

Título: ROBÓTICA MÓVEL APLICADA À ROBÓTICA ASSISTIVA

Coordenação: João Luiz Carneiro Carvalho

Resumo: A Robótica Assistiva é caracterizada pelo emprego de robôs no auxílio a pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida para execução de Atividades da Vida Diária. Essas atividades podem parecer simples do ponto de vista humano, mas representam tarefas com alto grau de complexidade do ponto de vista computacional, devido às diferenças entre a forma do homem pensar e agir e a forma do sistema computacional processar e atuar. Entre outras tarefas, um robô assistente deve se locomover dentro de um ambiente dinâmico e não estruturado, como uma residência ou um campus de universidade, por exemplo, de forma eficiente e segura, tanto para si mesmo como para as pessoas e objetos ao redor. Além disso, o custo para construir e programar uma plataforma robótica como essa na maioria das vezes é alto devido aos componentes que são utilizados em sua montagem. Nesse contexto, o objetivo deste projeto é desenvolver uma plataforma robótica com componentes de baixo custo capaz de navegar de forma segura em ambientes pouco controlados, e que futuramente poderá ser utilizada em tarefas relacionadas à Robótica Assistiva.

 

Título: PRÓTESES PARA DEFICIÊNCIA MOTORA: DA CONSTRUÇÃO DE PRODUTO DE BAIXO CUSTO PARA CRIANÇA À CATALOGAÇÃO

Coordenação: Luiz Carlos Soares de Carvalho Junior

Resumo: No Brasil, segundo dados do censo de 2010 do IBGE, 23,9% relata apresentar deficiência em algum grau de incapacidade. Essa prevalência é ainda maior nos Estados da região Nordeste, como na Bahia, atingindo 25,4% da população. Esse cenário se torna ainda mais alarmante ao se considerar o estudo realizado pela Secretaria de Ciência e Tecnologia para a Inclusão Social em parceira com o Instituo Social – ITS Brasil, que evidenciou que 77% dos projetos desenvolvidos de Tecnologia Assistiva estão centralizados nos estados do Rio Grande do Sul, São Paulo e Rio de Janeiro. Essas evidências são preocupantes, tendo em vista que a Tecnologia Assistiva consiste em serviços e produtos diretamente voltados as necessidades da pessoa com deficiência e podem ser compreendidos como propriamente uma extensão ou complementação de sua corporeidade, integrando o próprio ser da pessoa com deficiência, pois assim podem se expressar, se comunicar, se locomover, realizar atividades de vida diária em todos os contextos, sendo assim um direito humano. Assim, é importante que projetos sejam desenvolvidos para atender diretamente as necessidades da pessoa com deficiência em nossa comunidade, garantindo acesso não só a produtos, como também a informação. Nesse sentido, o projeto tem como objetivo desenvolver uma prótese de membro superior de baixo custo (utilizando impressora 3D) para criança em idade escolar e catalogar produtos de tecnologia assistiva da área de prótese e órteses.

 

Título: PARQUE INFANTIL: PROTÓTIPO DE BALANÇO PARA CRIANÇA COM DEFICIÊNCIA FÍSICA

Coordenação: Nelma de Cassia Silva Sandes

Resumo: Durante o ano de 2016, um grupo de docentes e discentes do Centro de Ciência, Tecnologia, Energia e Sustentabilidade (CETENS) desenvolveu um projeto sobre acessibilidade de crianças com deficiência em uma Escola Municipal da cidade de Feira de Santana, na Bahia. Uma das constatações oriundas das atividades realizadas foi à identificação de dificuldades para as crianças com deficiência física terem acesso aos equipamentos de lazer disponíveis na escola. Nesta perspectiva se insere este projeto cujo objetivo é tornar acessível parques infantis através da construção de balanços acessíveis e sustentáveis. A construção dessa tecnologia se ampara nas normativas legais sobre Parques Acessíveis e nos estudos e pesquisas do campo da Tecnologia Assistiva e Acessibilidade, área que vem se estruturando no CETENS, considerando-se a criação do Núcleo de Estudos, Pesquisa e Extensão de Tecnologia Assistiva e Acessibilidade (NEETA). Como resultado pretende-se elaborar um protótipo de balanço infantil, seguro, confortável, de baixo custo e sustentável que possa ser incorporado aos ambientes escolares contribuindo para uma prática de lazer mais inclusiva.

  

Título: CONTEXTUALIZAÇÃO DA REDE DE RECURSOS DE TECNOLOGIA ASSISTIVA PARA ALUNOS UNIVERSITÁRIOS COM DEFICIÊNCIA SENSORIAL NA REGIÃO METROPOLITANA DE FEIRA DE SANTANA BAHIA

Coordenação: Nelma de Cassia Silva Sandes

Resumo: O projeto tem como tema acessibilidade da pessoa com deficiência sensorial ao conteúdo impresso. Propõe estudar as formas de adaptações visuais, auditivas e táteis existentes no ambiente acadêmico das universidades, investigando a configuração das redes de suporte ao uso de Tecnologia Assistiva que é oferecida ao aluno universitário com deficiência sensorial na região de abrangência do Centro de Ciência em Tecnologia Energia e Sustentabilidade da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, a saber, a cidade de Feira de Santana e circunvizinhança, com ênfase no uso e compartilhamento de recursos de TA. Os objetivos específicos são: identificar as Instituições de Ensino Superior da cidade de Feira de Santana e circunvizinhança que tem entre os seus alunos com deficiência, pessoas com deficiência sensorial; conhecer os recursos de Tecnologia Assistiva disponíveis as Instituições de Ensino Superior da cidade de Feira de Santana e circunvizinhança; levantar possibilidades e desafios para a configuração de rede de apoio ao aluno com deficiência sensorial que estuda em Instituições de Ensino Superior da cidade de Feira de Santana e circunvizinhança, com ênfase na aquisição e uso dos recursos de TA. Acreditando nas possibilidades assertivas do trabalho em rede, espera-se ao final desta pesquisa, fomentar a criação de uma rede Instituições de Ensino Superior que possam funcionar em colaboração para o apoio ao uso de Recursos de Tecnologia Assistiva por alunos com deficiência sensorial estudantes do Ensino Superior. Pretende-se levantar as possibilidades e desafios para a configuração de rede de apoio ao aluno com deficiência sensorial que estuda em Instituições de Ensino Superior da cidade de Feira de Santana e circunvizinhança, com ênfase na aquisição e uso dos recursos de TA. Os resultados encontrados subsidiarão ações futuras sobre a temática. FOI APROVADO EM EDITAL PIBIC 2020-2021 E EM EDITAL PIBITI 2020-2021.

Integrantes: Lucas Santos Reis, Juliana Souza de Jesus Silva, Ana Cecília Santos Souza

 

Título: ACESSIBILIDADE PARA CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA EM ESPAÇOS PÚBLICOS DE LAZER

Coordenação: Nelma de Cassia Silva Sandes

Resumo: Este Projeto de Pesquisa tem como temática a acessibilidade da criança com deficiência ao lazer. O estudo vem sendo realizado em Feira de Santana-Ba, estando circunscrito aos parques públicos do município, tendo como objetivo geral compreender os desafios e possibilidades do brincar da criança com deficiência física com ênfase na acessibilidade dos brinquedos e espaços para brincar de acesso público. O aporte teórico é interdisciplinar envolvendo: Psicologia, através dos estudos sobre as repercussões que os contextos assertivos tem sobre o desenvolvimento da criança com deficiência; a Engenharia, por meio das pesquisas, recursos, metodologias de Tecnologia Assistiva, relacionados com conceitos de Ergonomia e design inclusivo e a produção de equipamentos e espaços acessíveis; e o campo da Política Pública, no que tange a legislação Municipal e Federal que subsidia a construção dos espaços e equipamentos inclusivos, com ênfase nas orientações da Associação Brasileira e Normas Técnicas (ABNT). A investigação tem uma metodologia qualitativa, do tipo Estudo de caso, tendo sido escolhido intencionalmente três parques. O instrumento de coleta de dados consiste em um questionário de verificação, baseado nas recomendações da ABNT e os estudos teóricos realizados. A análise será realizada por triangulação; dos dados coletados por instrumento; dos estudos sobre a norma da legislação brasileira; dos estudos sobre as necessidades de adaptações das crianças com deficiência física para o uso funcional dos equipamentos e espaços físicos. Espera-se como resultado um aumento no número de crianças com deficiência física circulando com autonomia e independência pelos espaços públicos de lazer da cidade de Feira de Santana. Espera-se contribuir para práticas sociais mais inclusivas. O projeto foi submetido e aprovado no Comitê de Ética da Plataforma Brasil, sob o CAAE: 82896017.5.0000.0056. Recebeu financiamento de bolsa para iniciação científica e de iniciação tecnológica dos seguintes órgãos: FAPESB, CNPq e da UFRB.

Integrantes: Mariane de Jesus Batista; Kercia Cristine Rosário Assis Souza; Diane albergaria.

 

Título: AVALIAÇÃO DAS CONDIÇÕES DE ACESSIBILIDADE E RISCO DE QUEDAS EM ÂMBITO DOMICILIAR DE IDOSOS COMUNITÁRIOS

Coordenação: Renata de Sousa Mota

Resumo: Este projeto tem como tema acessibilidade e risco de quedas de idosos em seus domicílios. Os acidentes intradomiciliares são a quinta causa de morte entre o idoso. 60% das quedas nesta população acontecem em domicílio. Quando sofrem uma queda, desenvolve medo de que ocorram novas quedas, fomentando a perda da independência, que por sua vez induz ao isolamento social. A severidade das quedas e sua frequência em pessoas após os 60 anos pode estar associada ao déficit visual, equilíbrio, fraqueza muscular e óssea decorrentes do processo de envelhecimento, elevando ainda mais seu risco. O risco de cair para esta população pode ser potencializado quando sua residência não oferece condições de acesso adequado. Este trabalho consiste em analisar os possíveis riscos de quedas que um lar não adaptado pode trazer, pois se sabe que o declínio da funcionalidade após quedas e possíveis fraturas está atribuído ao imobilismo por longos períodos levando a diminuição total ou parcial da independência funcional e autonomia, desencadeando outras patologias associadas. Consiste em um estudo de corte transversal, de caráter populacional, com uma amostra de 60 idosos na primeira velhice (60 – 80 anos). A coleta será realizada no domicilio do idoso, sendo aplicado uma ficha clínica para caracterização sócio demográfica e um questionário sobre a acessibilidade, através do Roteiro de Avaliação para o Ambiente (checklist) baseado nas normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (NBR) 9050, além de avaliar risco de queda através do teste Timed Up and Go (TUG) e da Escala de Equilíbrio Funcional de Berg (EEB). Espera-se que a partir deste estudo, poder-se-á traçar o perfil de idosos comunitários caidores e assim, poder construir medidas de orientação e intervenção para prevenir quedas, assim como a construção de uma cartilha de orientação para este público e seus familiares e/ou cuidadores.

 

Título: PRÁTICAS DE INCLUSÃO ESCOLAR EM FEIRA DE SANTANA: UM ESTUDO A PARTIR DE DOCUMENTOS PRODUZIDOS PELO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

Coordenação: Susana Couto Pimentel

Resumo: As políticas de inclusão no Estado brasileiro têm ganhado contornos bem definidos desde a última década do século XX quando na Constituição de 1988 foi incorporado o atendimento educacional especializado às pessoas com deficiência preferencialmente na rede regular de ensino (inciso III, Art. 208). Nos anos seguintes outros passos foram dados em direção a uma educação inclusiva e em 1994 o Brasil tornou-se signatário da Declaração de Salamanca, documento resultante da Conferência Mundial sobre Educação Especial, realizada em Salamanca, na Espanha, em 1994, cujo objetivo foi traçar diretrizes para a formulação de políticas e sistemas educacionais inclusivos. Desde então, uma série de Leis e outras normativas têm sido publicadas ratificando o direito de todos de aprender juntos em convivência com os demais, incluindo as pessoas com deficiência. Para que isso aconteça, algumas necessidades e desafios são impostos às escolas, dentre os quais assegurar currículos flexíveis, desenvolver práticas pedagógicas diferenciadas, disponibilizar material adaptado, atendimento educacional especializado no contraturno das aulas e recursos de Tecnologia Assistiva. No ordenamento jurídico brasileiro a Lei Federal nº13.146 de 6 de julho de 2015, conhecida também como Estatuto da Pessoa com Deficiência, é uma das leis mais recentes que sistematiza conquistas para esse segmento historicamente excluído do processo de escolarização. No âmbito dos estados e municípios os Conselhos de Educação, responsáveis por acompanhar os sistemas de ensino, também têm regulamentado os processos de inclusão, através de normativos e de processos de autorização, credenciamento e fiscalização das unidades escolares. Ante o exposto, e considerando-se a importância e abrangência do Conselho Municipal de Educação de Feira de Santana (CME/FSA) enquanto órgão que regulamenta e fiscaliza todas as instituições que compõem o sistema municipal de ensino, o presente projeto de pesquisa se propõe analisar, a partir dos documentos do CME/FSA, como as escolas que compõem o sistema municipal de ensino tem se 2 organizado pra incluir os estudantes com deficiência. Destaca-se que Feira de Santana é considerada o principal centro urbano e educacional do interior da Bahia. Para o desenvolvimento desta investigação optou-se pela abordagem qualitativa na análise de documentos públicos do Conselho Municipal de Educação. A pesquisa documental é aquela que trabalha a partir de fontes primárias, ou seja, que ainda não receberam um tratamento analítico. Como forma de delimitação temporal para seleção dos documentos a serem analisados, será utilizado o marco da Lei Brasileira de Inclusão publicada em julho de 2015. Assim, serão consideradas os processos de autorização, credenciamento e fiscalização de instituições de ensino nos últimos quatro anos, de 2016 a 2019. Para análise dos dados levantados serão utilizados os fundamentos legais da Educação Inclusiva e os pressupostos teóricos que subsidiam o paradigma da inclusão e o conceito de deficiência. Espera-se que esta pesquisa contribua para o levantamento das ações objetivas das escolas no processo de operacionalização da inclusão, bem como para oferecer, a partir da legislação e normativas já existentes, orientações sobre como proceder, beneficiando assim o estudante com deficiência matriculado do sistema escolar.

Bolsista FAPESB: Mikaely Almeida Moreira

Integrantes: Rosemeire da Silva Oliveira; Delma dos Santos Silva Pereira.

 

Título: LEVANTAMENTO E ANÁLISE DE PROTOCOLOS PARA AVALIAÇÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA COM VISTAS A SELEÇÃO E USO DA TECNOLOGIA ASSISTIVA

Coordenação: Teófilo Alves Galvão Filho

Resumo: Este Projeto de Pesquisa propõe a realização de um levantamento e análise de Protocolos de Avaliação de pessoas com deficiência, para a seleção e uso da Tecnologia Assistiva, disponíveis na produção científica e acadêmica na atualidade no Brasil. Para isso, como trajetória metodológica da pesquisa, propõe-se o desenvolvimento de uma pesquisa qualitativa, de caráter exploratório, utilizando como instrumento de coleta de dados, o levantamento de trabalhos científicos encontrados no Catálogo de Teses e Dissertações da CAPES, e, sendo necessário, também em outros bancos de dados, por meio de palavras-chave que correspondam ao foco dos trabalhos que se deseja localizar. Após a análise dos trabalhos encontrados, planeja-se a elaboração de uma proposta de elementos e parâmetros fundamentais que possam subsidiar a construção e proposição de um Protocolo para Avaliação de potenciais usuários de Tecnologia Assistiva, segundo as particularidades específicas do contexto das avaliações normalmente realizadas pelos pesquisadores do Núcleo de Estudos, Pesquisa e Extensão em Tecnologia Assistiva e Acessibilidade, o NETAA do CETENS/UFRB.

Bolsista CNPq: Mariane de Jesus Batista

Pesquisadora PIBIC Voluntária: Renata Bastos Dantas

Fim do conteúdo da página