Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Notícias > UFRB tem três projetos selecionados no edital do AgroResidência
Início do conteúdo da página
AgroResidência

UFRB tem três projetos selecionados no edital do AgroResidência

Os projetos serão financiados para que desenvolvam atividades voltadas à qualificação técnica de estudantes e recém-egressos dos cursos de ciências agrárias e afins.
19/10/20 16:04 | 19/10/20 16:04 | 525 Fábio Ferreira

A Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) teve três de seus projetos aprovados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), para participar do Edital do Programa de Residência Profissional Agrícola (AgroResidência), que financia atividades direcionadas à qualificação técnica de estudantes e recém-egressos dos cursos de ciências agrárias e áreas afins.

As propostas foram enviadas por Instituições de Ensino de 23 estados e do Distrito Federal e selecionadas pela Secretaria de Agricultura Familiar e Cooperativismo (SAF) do MAPA.

Entre as 34 propostas de projeto vencedoras do Nordeste três são da UFRB, vinculadas ao Centro de Ciências Agrárias, Ambientais e Biológicas (CCAAB).

As propostas aprovadas da UFRB são de Residência Profissional Agrícola em Associações e Cooperativas da Agricultura Familiar Vinculadas à FETRAF –BA; Cooperação Interinstitucional Visando à Formação Acadêmica e de Recém-Formados dos Cursos de Ciências Agrárias do Recôncavo da Bahia; e Qualificação profissional de jovens das ciências agrárias: produção e comercialização de alimentos e empreendimentos da agricultura familiar no estado da Bahia.

Atividades

Os projetos aprovados no edital serão responsáveis por desenvolver, com os jovens residentes, estudantes ou recém-egressos dos cursos de ciências agrárias e afins, atividades práticas dentro das funções ligadas à respectiva formação, sob supervisão e acompanhamento de profissional técnico habilitado com formação na área de atuação. 

Para financiar os projetos aprovados, durante o período máximo de dois anos, o governo federal destinou R$ 17,1 milhões para o programa de residência profissional. Os recursos poderão ser usados no custeio de bolsa no valor R$ 1.200, para alunos de curso superior. A carga horária de trabalho dos residentes será de 40 horas semanais. 

Outra possibilidade é o custeio de bolsa para professor orientador, que corresponderá ao valor de R$ 200 por orientado. Cada professor deverá orientar entre cinco (mínimo) e dez (máximo) residentes, sendo assim, a bolsa pode variar de R$ 1 mil a R$ 2 mil. 

Os recursos também poderão custear a participação dos residentes, professor orientador, técnico orientador e de colaboradores eventuais em reuniões, oficinas, seminários, congressos e afins. 

registrado em:
Fim do conteúdo da página